O sussurro da Terra que prevê terremotos

Físicos russos descobriram que terremotos podem ser previstos com antecedência através do “sussurro da Terra”, isto é, das fracas vibrações sísmicas que surgem nas cercanias de falhas geológicas.

Terremoto (imagem referencial)

A metodologia da pesquisa e os resultados de experimentos laboratoriais foram publicados na revista especializada Scientific Reports.

“Descobrimos que a transição de uma falha para o estado de ‘prontidão’ para um sismo pode ser detectada através da análise do ruído de fundo. O monitoramento das vibrações que surgem perto das falhas pode se tornar um método útil de vigilância em tempo real”, disse Aleksei Ostapchuk, pesquisador do Instituto de Física e Tecnologia de Moscou.

Danos causados pelos terremotos e tsunami em Palu, na Indonésia, em 30 de setembro de 2018
Forte terremoto atinge a Indonésia dias logo após um tsunami

A questão é que os terremotos e outras calamidades naturais relacionadas com o núcleo terrestre costumam ocorrer nas fronteiras das falhas entre as placas tectônicas, cujo movimento pode ser dificultado pelas irregularidades nas suas bordas. Assim, quando a movimentação das placas pára, no ponto de seu contato se acumula energia potencial, que depois se liberta através de calor e pulsos potentes de ondas acústicas no momento de quebradura.

Faz muito tempo que os cientistas tentam entender que processos provocam a acumulação dessa energia, para assim achar uma maneira de “fazer uma radioscopia” das profundezas terrestres e detectar de antemão tais zonas de tensão tectônica. Apesar dos avanços significativos nessa área, as previsões feitas até hoje têm sido muito pouco precisas, o que até levou à prisão de alguns especialistas por prognósticos errados e “desinformação” da população.

Já o cientista russo Ostapchuk e sua equipe conseguiram aumentar significativamente a precisão destes prognósticos, analisando as metamorfoses que acontecem nas falhas pouco antes de um sismo. Anteriormente, o chamado “sussurro da Terra” era ignorado pelos pesquisadores para estes fins, isso era considerado como um método infrutífero para previsões, por o ruído das placas ser muito difícil de distinguir dos ruídos produzidos por outras fontes.

Para obter uma descrição detalhada deste tipo de ruído, os físicos russos efetuaram testes laboratoriais, usando análogos de duas placas de rocha em colisão. Enquanto isso, um simples altifalante externo fixado em uma das placas fazia as duas vibrarem e, deste modo, desempenhava o papel de “sussurro da Terra”.

Desse jeito, ao monitorar as mudanças no ruído à medida que aumentava a tensão no ponto de colisão, os cientistas detectaram que precisamente antes do início do terremoto o “sussurro da Terra” adquire picos de baixa frequência, cuja frequência abaixa ainda mais antes do deslocamento da rocha.

Espera-se que no futuro tal monitoramento permita detectar os próximos terremotos e predizer sua magnitude e hora de início. Entretanto, para isso será preciso criar toda uma série de novas ferramentas que ajudarão a entender melhor as frequências das próprias placas em colisão, o que é crítico para descobrir os pontos exatos dos epicentros de futuras calamidades.

Fonte: Sputnik

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: